Kelly Rowland é capa da revista Vegas

Kelly Rowland é a capa da Revista Vegas deste mês de Junho. A cantora ganhou uma entrevista exclusiva e um photoshoot lindo para comemorar os nove anos da revista americana. Confira a seguir a matéria e algumas fotos do ensaio…

Kelly Rowland convida você a celebrar o nono aniversário da revista Vegas em sua nova capa. São novas fotos e e uma nova entrevista para a comemoração da revista britânica. Na entrevista, a diva do R&B fala sobre o seu próximo álbum, sobre que tipo de homem ela gosta e de como era o relacionamento no Destiny’s Child.

No caminho para se apresentar no Festival Supafest no Estádio ANZ Stadium, lotado com mais de 30.000 pessoas, em Sydney, Austrália, Kelly Rowland tem um momento em silêncio na estrada para o show, se preparando para focar na performance do palco. Muitos artistas de peso estarão presentes no evento, entre eles Chris Brown, Lupe Fiasco, Naughty By Nature e, claro, Rowland. Será tudo muito agitado depois, mas agora ela está calma e atendendo fãs que estão esperando por sua chegada no estádio.

“Eu não posso acreditar,” ela diz. “A fila tem milhões de kilômetros. Meus fãs estavam aqui cedo e twitaram daqui de fora. Ser capaz de viajar e performar aqui — Eu não posso acreditar como estou sendo afortunada.”

Milhões de fãs seguem Kelly a mais de 15 anos, desde que ela, Beyoncé Knowles e Michelle Williams formaram o grupo femininos de R&B de maior sucesso da história, o Destiny’s Child. Desde os oito anos ela está em carreira, e junto com o grupo ela vendeu mais de 45 milhões de álbum em todo o mundo. Destiny’s Child é o 3º grupo feminino que mais vendeu discos de acordo com a Billboard Magazine, estando atrás somente das Spice Girls e o TLC. Dois dos álbuns do grupo — The Writing’s on the Wall de 1999 e Survivor de 2001 — estão no Top 10 na lista dos álbuns femininos mais vendidos do mundo da Billboard.

Mas como todo grupo tem seu fim, os membros do Destiny’s Child se separaram para cuidar de suas carreiras individuais. O seu quarto e último álbum, entitulado Destiny Fulfilled, foi lançado no final do ano de 2004.

Para Rowland, que ficou famosa ainda adolescente, carreira solo significa consolidar suas ideias e sua mensagem de maturidade, além de falar diretamente para seus fãs. Ela afirma que seu próximo CD é como algo pessoal mostrado para o público, sem esforços para ambigüidade. Ela está gravando desde Fevereiro, trabalhando enquanto estava sendo jurada no show de talentos, X Factor UK do Simon Cowel, e outros projetos como a filmagem do filme “Think Like a Man”, que possui algumas cenas hilárias com o personagem do Kevin Hart.

“Eu estou mais animada de gravar desta vez (seu terceiro álbum, Here I Am, foi lançado em 2011), porque eu tem um conceito,” diz Rowland. “Eu estou fazendo um álbum para as mulheres, oh, sim, e isso é forte. Todos os produtores estão trabalhando em cima do conceito e eles estão tornando-o um pouco agressivo, e as vezes, até masculino. Mas o que está em jogo é que eu quero dizer as mulheres quão incríveis elas são, como nossa intuição é nosso guia. Às vezes nós não a ouvimos, mas é algo que na verdade pode nos fazer feliz.”

Quando perguntada, se um de seus fãs homens podem encontrar alguma mensagem em seu novo lançamento, Rowland riu. “Eu sei que os homens irão comprá-lo,” ela disse. “Vocês, definitivamente, irão comprá-lo e cantar as canções. Vocês verão, ‘Eu não acredito que estou cantando isso!’ Se você quer entender um pouco mais sobre as mulheres, escute meu próximo álbum!”

Rowland está rencontrando os estilos: o clássico R&B e o Blues. Para preparar este novo álbum, ela resgatou seus álbum preferidos de R&B, com artistas como Whitney Houston, Marvin Gaye e Stevie Wonder. “O que está engatilhando foi concedido quando eu estava em turnê com o Chris Brown ano passado,” ela disse. “Eu parei em Hitsville nos EUA (Hitsville é um apelido para as redondezas da gravadora Motown em Detroit), e me veio todo essa história; foi um tipo de intuição, quando percebi que queria conta essa história. Para mim, é realmente falar sobre mim, e as pessoas adoram isso. Isso é o que Adele fez: Ela é uma contadora de história.”

Em uma das histórias de Rowland, a cantora vai contar como foi sua primeira ida à Las Vegas, quando ela tinha somente 18 anos. Foi em July de 1999, quando o Destiny’s Child se apresentou na boate House of Blues no casino resort Mandalay Bay, assim que o grupo lançou o álbum The Writing’s on the Wall. Os ingressos do show eram somente 15 dólares, e a platéia foi a loucura com o show delas. “Havia uma energia ali, e eu lembro de pensar, eu não vejo a hora de ficar mais velha… E provar dessa atmosfera.”

Michelle, que se juntou ao grupo no próximo ano, lembra que Rowland era delicada e educada, mas forte o bastante para o show business, também. “Kelly era a garota mais doce,” diz Williams. “Ela tinha um sorriso lindo e tão aconchegante. Mas algumas pessoas era arrogantes, cruéis, e Kelly falava ‘Você não irá desrespeitar a mim ou a minhas irmãs!’ Eu lembro dela rebatendo um reporter no Grammy de 2001, eu creio. Ela era muito feminina, mas ninguém jogava com ela. Assistir Kelly agora é tão maravilhoso. Ela está crescendo e desabrochando sob nossos olhos e continua a subir.”

A mais recente aparição de Rowland nos palcos foi durante uma performance no aniversário de 70 anos de Muhammad Ali’s 70th birthday, que foi um evento beneficiente para a clínica Cleveland Clinic Lou Ruvo Center da Brain Health no MGM Grand em Las Vegas. Ela estará mais uma vez na cidade neste Junho, para performar na festa do nono aniversário da revista Vegas na Boulevard Pool no The Cosmopolitan.

Diferente de alguns artistas que hoje estão m carreira solo, mas antes era de algum grupo, Kelly é grata por ter começado no Destiny’s Child. “Destiny’s Child foi uma grande parte da minha carreira, e acho natural das pessoas quando falam do DC quando falam de nós,” ela disse. “As pessoas nos chamam de maior grupo feminino de todos os tempos — Você está brincando comigo? Beyoncé e Michelle são duas mulheres incríveis e é muito mais profundo do que o público vê. Destiny’s Child, para mim, é uma fraternidade, uma família que nós podemos compartilhar. Você quer que as pessoas te respeite por ter sua identidade como artista, mas também quer que eles lembrem como eles a virão pela primeira vez.”

Sobre Diego Sioli

Menino que veio do interior para descobrir a Comunicação Social, o Pop, o Designer, a Beyoncé, os Blogs e essas coisas excitantes da cidade grande... Ver todos os artigos de Diego Sioli

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: